terça-feira, 13 de maio de 2014

Malograda Maria

Pobre Maria
Cansada da agonia
Ajoelhou-se a rezar
Um anjo que passava
Que tinha um olho que sorria
outro que chorava
Comoveu-se e foi ajudar
Coitada da Maria
Recebeu sua alegria
Mas a graça começou a lhe custar
O anjo queria amizade
E agora por toda a eternidade
Terá que ouvi-lo lamentar